Crise aumenta recurso aos leilões

Normalmente mais focadas em produtos usados, as transações entre particulares são uma das formas peculiares de comércio eletrónico. Os consumidores contornam os circuitos tradicionais das lojas também através de leilões. A ideia é herdada das trocas diretas realizadas desde sempre, ou das vendas em quermesses, e mais recentemente dos sistemas de classificados e anúncios pessoais, mas ganha nova dimensão global com a Internet, que disponibiliza também novas ferramentas de avaliação da comunidade que podem ajudar a identificar os bons e maus vendedores. A possibilidade de criar referências para um determinado vendedor é uma das mais-valias desta plataforma eletrónica face aos sistemas tradicionais. Note-se porém que nem tudo é tão claro.
Raquel Pimentel - Leilões - Blog

Este mercado eletrónico de produtos usados aumentou drasticamente com a crise económica, revelam estudos. O número de sites que permitem aos internautas vender artigos em segunda mão aumentou, com os automóveis no topo da tabela dos bens mais transacionados a nível mundial, sendo responsáveis por 21,7 por cento do mercado. Seguem-se-lhes os ‘produtos culturais e de lazer’ e também a eletrónica.

Os comentários estão fechados.