Category Archives: televisão

TVI tem novo diretor

TVI - TELENIMANa sequência da demissão hoje apresentada por José Fragoso, alegando motivos pessoais, desta feita é Luís Cunha Velho que passará a assumir doravante a liderança na direção da TVI. Munido de uma confortável experiência nas mais diversas áreas, Luís Velho exercia já, interinamente, as funções de diretor da estação de Queluz nas últimas semanas. E é sob esta nova direção que ficam desde já formalizados os agradecimentos ao diretor demissionário pelo excelente trabalho prestado ao serviço da Televisão Independente.

Anúncios

Mais humor na televisão em 2013

Algumas televisões preparam-se para contrariar a tristeza dos portugueses. Segundo revelações recentemente publicadas por Laetitea (via blog), os conteúdos televisivos de 2013 prometem formatos com mais humor. Numa altura claramente desmarcada pelo desemprego, esta é com certeza uma boa notícia para o profissionais do setor ‘comédia’. Neste artigo «A Televisão em 2013» Laetitea convida-nos igualmente a descobrir o que nos reserva a televisão, do ponto de vista tecnológico. Graças aos satélites de comunicações, mas também aos desenvolvimentos na informática, na fibra ótica, etc., estamos no limiar de uma grande revolução nas nossas vidas. A fusão das tecnologias de comunicação num único meio promoverá a caixa que mudou o mundo ao nobre papel de central doméstica das ligações com o mundo.

A Televisão em 2013 - Artigo de LaetiteaAlgumas tendências começam a desenhar-se “obedecendo à extração conclusiva dos diversos tópicos debatidos num colóquio, na passada semana em Paris, o protagonismo do aparelho recetor pode levá-lo a converter-se no centro de todas as comunicações do lar…”, é o que nos explica Laetitea nesta nova publicação. Uma leitura muito detalhada para quem gosta de espiar a televisão, vista de dentro.

Tudo isso e muito mais no blog pessoal de Laetitea. Vale a pena ler …e ver!

Faleceu Santos Manuel

Faleceu Santos ManuelAos 79 anos, o ator de teatro e televisão Santos Manuel não resiste a uma pneumonia. O ator, e fundador do Teatro Experimental de Cascais – TEC, encontrava-se internado no Hospital de Cascais desde há uma semana.  O funeral realizar-se-á na terça-feira, às 10:00, no o cemitério de Rio de Mouro (Sintra). Mais pormenores em www.publico.pt

Falsas agências aliciam jovens

Clique AQUI para aceder ao vídeo
Reportagem TVI

O desemprego tem vindo a estimular o recurso a práticas ilícitas e tudo indica que a sua ocorrência venha a aumentar. As burlas associadas a profissões ligadas ao mundo do espetáculo ou da moda têm vindo a merecer destaque. Aparecer nas revistas, participar em novelas e/ou nas passarelas, são alguns exemplos de promessas habitualmente condimentadas no ‘isco’. Mas é na Internet que o «conto do vigário» se têm revelado dominante. É de realçar que serviços relacionados com a informática e Internet estão igualmente sob vigilância. Afim de melhorar o controlo desta situação, é importante que até as tentativas (frustradas) sejam devidamente denunciadas junto das autoridades.

Casting para uma novela

Nos castings para televisão, embora a sua apresentação possa antecipar a curiosidade de alguns produtores, o chamado ‘book’ é praticamente ignorado. A formação e a preparação para a prova continuam a ditar o futuro de cada candidato.

tvescolas a 28 de março

tvescolas

O tvescolas tem vindo a promover uma série de palestras dirigidas à comunidade do ensino secundário (12º ano). Esta iniciativa conta igualmente com a participação de figuras públicas como jornalistas e apresentadores da praça televisiva.

https://raquelpimentel.wordpress.com

Queluz, 28 de março – Eu, perante uma plateia constituída por 3 turmas do 12º ano e alguns docentes (diretores de turma), numa apresentação sobordinada ao tema ‘Comunicação em Televisão’. Mas temáticas multidisciplinares como o à-vontade, fotogenia, a capacidade de auto-domínio e controlo sobre as situações foram igualmente abordadas no evento.

TVI celebra 19 anos


A TVI comemora hoje os seus 19 anos de competência. São 19 anos de sucesso em nome de uma relação de confiança e respeito com o público português. Hoje, líder indiscutível de audiências nos últimos sete anos e uma referência na informação, a estação de Queluz celebra o seu aniversário com um brinde à preferência dos espectadores!

 

Falar em público

Todo o falar, num certo sentido, é falar «em público», porque há sempre alguém presente quando nós falamos. Falar «em particular» é, em última análise, falar consigo mesmo. Uma tal pessoa merece a nossa simpatia, ou até talvez nos deixe alarmados.
No entanto, o assunto «falar» é tão importante, e é tal o seu significado, que se torna difícil fazer-lhe toda a justiça. Tendo afirmado que falar «em público» é provavelmente uma designação incorreta, que pode levar muitas pessoas, aliás inteligentes e experientes, a adquirir um certo número de técnicas assombrosas sobre a maneira de falar «em público», tenho de dizer agora o que é que o termo não implica. Não implica meramente a capacidade de falar com confiança, não implica meramente um consciencioso à-vontade num palanque ou a espontaneidade para falar sem receios em qualquer ocasião. Em resumo, a educação da fala não consiste num exibicionismo de tribuna.

Devo fazer notar que a educação da fala nos proporciona vantagens não apenas educativas, mas também pessoais. As vantagens pessoais, especialmente com uma prática constante, são:

  1. uma pessoa pensa mais claramente;
  2. melhora a sua aparência;
  3. melhora a sua voz;
  4. melhora o seu poder de concentração;
  5. amplia os seus interesses.

Não há qualquer mistério na fala eficaz e na troca de ideias com os amigos. Falar claramente e de um modo conciso é ao mesmo tempo uma arte e uma habilidade. Não é uma qualidade nata ou um atributo de poucos; qualquer pessoa, praticamente, com uma aplicação inteligente, pode dicidir-se a falar com vigor e de modo convincente. Falar «em público», como na TV, não é uma questão de gestos estudados e de «declamação»; exige uma maneira própria, direta, simples, sem truques oratórios ou declamatórios.

Consideramos os dois componentes orador e auditório. Os problemas de um orador são diferentes dos de um escritor, embora os dois utilizem símbolos verbais. Um escritor depende da sintaxe. A ordem em que põe as suas palavras sugere a entoação, a pausa e a ênfase. Um orador traz consigo toda a sua personalidade e todo o comportamento possível para a tribuna, e com isto reforça as palavras e as ideias que exprime. O seu comportamento na tribuna aumenta ou diminui o valor da sua expressão. Falta dizer que em televisão como em rádio, a adaptação às exigências de um auditório requer, naturalmente, uma seleção conveniente do valor psicológico das palavras capaz de persuadir ou despertar qualquer atitude emocional particular.