Ser ou Parecer, eis a questão!

Novo artigo no site: «Ser ou Parecer, eis a questão!»

Trata-se de um ramo do conhecimento ainda envolto em bastante controvérsia, mas já com alguns especialistas em Portugal: a ciência da comunicação não verbal. Segundo os teóricos, que se socorrem da psicologia e da etologia, os gestos transmitem inúmeras informações sobre a personalidade e o estado de espírito, e estamos naturalmente treinados, uns mais do que outros, para os interpretar. Ainda mais polémica é a teoria de que os traços do rosto espelham o caráter, mas deixo esse conjunto de códigos para outra ocasião…

Saiba tudo em http://www.raquelpimentel.com

Anúncios

www.raquelpimentel.com já está disponível

 

www.raquelpimentel.com

O meu site pessoal www.raquelpimentel.com já está disponível.

Festa Franco Portuguesa em Pontault-Combault

Cartaz da 37ª Festa Franco Portuguesa em Pontault Combault

Cartaz da 37ª edição da Festa Franco Portuguesa (FFP) em Pontault Combault

Em conjunto com o município francês de Pontault-Combault, a Associação Cultural e Social Portuguesa (APCS) tem vindo a desenvolver a celebração anual de uma Festa Franco Portuguesa (FFP), cujos objetivos visam homenagear e fortalecer os alicerces culturais que os unem. Apelando ao ‘espírito de tolerância, de amizade e de respeito mútuo’, o cartaz deste ano assegura um leque recheado de artistas conceituados e de créditos firmados oriundos das várias quadrantes musicais. Com a presença de nomes como Belito Campos, Ana Ritta e André Sardet, entre outros, esta 37ª edição decorre de 26 a 27 de maio.

 

15 de maio em imagens

15 DE MAIO EM IMAGENS

15 de maio em imagensA fundação sueca Expressions of Humankind promove ‘o poder da fotografia para criar, compartilhar e inspirar perspetivas na vida cotidiana’. Esta iniciativa, aberta a todos os amantes da fotografia, pretende uma recolha fotográfica – a nível mundial – centrada no dia 15 de maio de 2012.

A este propósito, alguns destes registos podem vir a ilustrar um livro, A Day In the World, cuja publicação está prevista para outubro deste ano. Desmond Tutu, Richard Branson, Martti Ahtisaari, Gro Harlem Brundtland e Mary Robinson são algumas das personalidades envolvidas no megaprojeto.
Está interessado em participar? Saiba tudo ADAY.org

Falsas agências aliciam jovens

Clique AQUI para aceder ao vídeo
Reportagem TVI

O desemprego tem vindo a estimular o recurso a práticas ilícitas e tudo indica que a sua ocorrência venha a aumentar. As burlas associadas a profissões ligadas ao mundo do espetáculo ou da moda têm vindo a merecer destaque. Aparecer nas revistas, participar em novelas e/ou nas passarelas, são alguns exemplos de promessas habitualmente condimentadas no ‘isco’. Mas é na Internet que o «conto do vigário» se têm revelado dominante. É de realçar que serviços relacionados com a informática e Internet estão igualmente sob vigilância. Afim de melhorar o controlo desta situação, é importante que até as tentativas (frustradas) sejam devidamente denunciadas junto das autoridades.

Casting para uma novela

Nos castings para televisão, embora a sua apresentação possa antecipar a curiosidade de alguns produtores, o chamado ‘book’ é praticamente ignorado. A formação e a preparação para a prova continuam a ditar o futuro de cada candidato.

tvescolas a 28 de março

tvescolas

O tvescolas tem vindo a promover uma série de palestras dirigidas à comunidade do ensino secundário (12º ano). Esta iniciativa conta igualmente com a participação de figuras públicas como jornalistas e apresentadores da praça televisiva.

https://raquelpimentel.wordpress.com

Queluz, 28 de março – Eu, perante uma plateia constituída por 3 turmas do 12º ano e alguns docentes (diretores de turma), numa apresentação sobordinada ao tema ‘Comunicação em Televisão’. Mas temáticas multidisciplinares como o à-vontade, fotogenia, a capacidade de auto-domínio e controlo sobre as situações foram igualmente abordadas no evento.

SER RESPONSÁVEL (Unicer)

SERRESPONSÁVEL

Como Grupo líder no sector das bebidas e das cervejas em Portugal, a Unicer tem responsabilidades acrescidas em relação à Comunidade onde se insere. Responsabilidade que assumiu no passado e continua a assumir e a respeitar no presente sem esquecer os projectos para o futuro (…).

Unicer incute consumo moderado de bebidas alcoólicas (ver site)

TELENIMA recruta recém-licienciados

Com sólidas relações de parceria com um dos maiores Grupos privados na área do Audiovisual, a TELENIMA, em fase de estruturação apesar do seu envolvimento (parcial) com importantes Empresas do setor, alia-se no combate à segmentação do desemprego. Exclusivamente destinadas a recém-licenciados, desta feita estão abertas inscrições para eventual contratação, em regime de experiência a termo resolutivo certo pelo período de um ano…

(ver o anúncio)

“O público português é pouco homogéneo porque há várias correntes e atitudes diferentes em relação ao audiovisual. Há quem opte por determinados formatos porque é moda, quem se oriente pela qualidade, os entusiasmados pela modelagem irreverente, apelidada de alternativa, e outros há – mais preguiçosos – que se deixam conduzir pelo arrasto, se os podemos qualificar. Há um certo nível de apreciação e qualidade nos consumidores e o potenciómetro comercial sofreu uma valente derrapagem desde 2010 em Portugal. Estamos a atravessar um período complicado em termos de apostas novas. Existem muitos riscos. Isto dantes era uma indústria que corria riscos, agora é uma indústria de não tomar riscos. Cover your ass, como dizemos. Efectivamente, com a falta de verbas tudo carece de reorganização e reestruturação e os projectos embrionários tendem a permanecer na gaveta até á «monção económica». Numa altura em que o retorno fechou a torneira, investir «a seco» pressupõe precisamente converter a garantia em morte prematura. A «congelação» faz parte do business plan. Por outro lado, o importante é fazer as coisas pelo gosto para que se possa ter um bom desenvolvimento e esse é o território da TELENIMA. Ainda relativo à ideia TELENIMA, que eu considero uma espécie de joint-venture em gestação, de uma forma geral, tudo nela se desenvolve de forma espontânea, o que significa que, devido ou graças ao estado actual das coisas, os objectivos fogem um pouco daquela previsibilidade – break even – irritante geralmente consagrada aos grandes empreendimentos” arremata Laetitea

TVI celebra 19 anos


A TVI comemora hoje os seus 19 anos de competência. São 19 anos de sucesso em nome de uma relação de confiança e respeito com o público português. Hoje, líder indiscutível de audiências nos últimos sete anos e uma referência na informação, a estação de Queluz celebra o seu aniversário com um brinde à preferência dos espectadores!

 

Falar em público

Todo o falar, num certo sentido, é falar «em público», porque há sempre alguém presente quando nós falamos. Falar «em particular» é, em última análise, falar consigo mesmo. Uma tal pessoa merece a nossa simpatia, ou até talvez nos deixe alarmados.
No entanto, o assunto «falar» é tão importante, e é tal o seu significado, que se torna difícil fazer-lhe toda a justiça. Tendo afirmado que falar «em público» é provavelmente uma designação incorreta, que pode levar muitas pessoas, aliás inteligentes e experientes, a adquirir um certo número de técnicas assombrosas sobre a maneira de falar «em público», tenho de dizer agora o que é que o termo não implica. Não implica meramente a capacidade de falar com confiança, não implica meramente um consciencioso à-vontade num palanque ou a espontaneidade para falar sem receios em qualquer ocasião. Em resumo, a educação da fala não consiste num exibicionismo de tribuna.

Devo fazer notar que a educação da fala nos proporciona vantagens não apenas educativas, mas também pessoais. As vantagens pessoais, especialmente com uma prática constante, são:

  1. uma pessoa pensa mais claramente;
  2. melhora a sua aparência;
  3. melhora a sua voz;
  4. melhora o seu poder de concentração;
  5. amplia os seus interesses.

Não há qualquer mistério na fala eficaz e na troca de ideias com os amigos. Falar claramente e de um modo conciso é ao mesmo tempo uma arte e uma habilidade. Não é uma qualidade nata ou um atributo de poucos; qualquer pessoa, praticamente, com uma aplicação inteligente, pode dicidir-se a falar com vigor e de modo convincente. Falar «em público», como na TV, não é uma questão de gestos estudados e de «declamação»; exige uma maneira própria, direta, simples, sem truques oratórios ou declamatórios.

Consideramos os dois componentes orador e auditório. Os problemas de um orador são diferentes dos de um escritor, embora os dois utilizem símbolos verbais. Um escritor depende da sintaxe. A ordem em que põe as suas palavras sugere a entoação, a pausa e a ênfase. Um orador traz consigo toda a sua personalidade e todo o comportamento possível para a tribuna, e com isto reforça as palavras e as ideias que exprime. O seu comportamento na tribuna aumenta ou diminui o valor da sua expressão. Falta dizer que em televisão como em rádio, a adaptação às exigências de um auditório requer, naturalmente, uma seleção conveniente do valor psicológico das palavras capaz de persuadir ou despertar qualquer atitude emocional particular.